Roncopatia e Apneia do Sono

O que é a Apneia do Sono?

A Síndrome de Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS), frequentemente denominada de Apneia do Sono, consiste numa obstrução ao nível das vias aéreas superiores (VAS) durante o sono, podendo ser parcial (dando origem ao ressonar) ou total (provocando uma paragem respiratória – apneia – que pode durar vários segundos ou mesmo minutos, consoante a gravidade). É uma situação séria, potencialmente fatal.
Quando dormimos os músculos da via aérea superior e a língua relaxam, obstruindo a faringe, interferindo com a respiração normal. Este episódio pode acontecer com maior ou menor frequência de acordo com a maior ou menor gravidade desta patologia.
Na maioria dos casos, o paciente sofrendo de apneia do sono, ressona alto e com frequência, ocorrendo períodos de silêncio quando as vias aéreas se obstruem. Alguns estudos apontam para uma prevalência de 24% nos Homens e de 9% nas Mulheres.

 

O que é a Roncopatia?

A roncopatia é extremamente comum e traduz-se por um ressonar de baixa a alta intensidade, interferindo na qualidade do seu sono ou do seu parceiro.
Aparentemente inofensivo, o ressonar alto e com muita frequência pode no entanto ser sinal de uma patologia bem mais grave – a apneia do sono.
O ressonar ocorre nas vias aéreas superiores, quando estas estão parcialmente colapsadas pelos tecidos moles da orofaringe. A passagem dificultada do ar provoca a vibração dos tecidos moles, gerando o som característico de ressonar.

 

Qual é o Tratamento?

Aparelho Intra-Oral
A abordagem terapêutica para a Roncopatia ou a Apneia do Sono baseia-se nos mesmos pilares de atuação.

Na Orisclinic, o médico dentista formado na área do tratamento de roncopatia e apneia do sono decidirá, após o diagnóstico, e dependendo da gravidade da patologia, em que área médica se enquadra o tratamento para cada paciente.

A American Association of Dental Sleep Medicine recomenda como tratamento de primeira linha para a roncopatia e apneia do sono leves a moderadas o uso de um aparelho intra-oral.
Trata-se aqui de um género de goteira, como usam os desportistas de alta competição, com a particularidade de permitir um avanço mandibular reposicionando a língua e conduzindo à desobstrução das vias aéreas durante o sono.

O dispositivo intra-oral é fácil de usar, confortável e uma excelente alternativa a outro tipo de abordagens terapêuticas mais complexas, invasivas e irreversíveis para o paciente.

 

Outro tipo de abordagens terapêuticas:

 

Pressão Positiva
Um dos tratamentos de eleição para os casos mais graves consiste na pressão positiva, através de um gerador de fluxo, comummente denominado de CPAP(Continuous Positive Airway Pressure) que proporciona uma pressão constante nas VAS. Esta pressão é fornecida através de uma máscara colocada na face durante o sono, que força a entrada de ar nas VAS impedindo a obstrução e a respiração faz-se normalmente, sem paragens. Os episódios obstrutivos retornam todas as noites em que o dispositivo não é usado. Esta opção tem como principais inconvenientes o incómodo relativo ao uso de uma máscara noturna.

 

Tratamento comportamental
O tratamento comportamental inclui: perda ponderal, exercício físico, terapia posicional e evicção de consumo de álcool e de sedativos antes de dormir. A perda ponderal ou perda de peso tem como objetivo atingir um índice de massa corporal (IMC) de, no máximo, 25 Kg/m² (peso normal). A perda ponderal eficaz pode reduzir a gravidade de SAOS em doentes obesos, sendo recomendada para todos os doentes, quer de forma isolada ou como adjuvante do tratamento principal de SAOS. A terapia posicional consiste num modo que permite manter o doente a dormir numa posição que não desencadeia os eventos respiratórios anormais, através de um dispositivo posicional, como por exemplo uma almofada ou bola de ténis no dorso.

 

Cirurgia Maxilofacial
A opção de recorrer a uma cirurgia para permeabilizar as vias aéreas pode ser colocada em casos de patologia mais severos, e quando todos os outros tratamentos não foram bem sucedidos. Dependendo da localização a intervir e da natureza da obstrução, este procedimento pode ser minimamente invasivo ou mais complexo.

 

Tipos de cirurgia:

  • avanço da mandíbula; ortodontia e cirúrgia ortognática;
  • osteotomia antero-inferior com suspensão do osso hioide;
  • cirurgia do palato mole (somnoplastia, uvuloplastia assistida por LASER ou uvulopalatofaringoplastia);
  • cirurgia nasal (septoplastia em caso de desvio do septo nasal ou redução das conchas nasais);
  • lipoaspiração cervicofacial traqueotomia